Portal da Cidade Sinop

VENDA

Prefeitura vai desmembrar área do estádio municipal

O município pode se tornar sede de investimentos nacionais do GPA, o maior no segmento de varejo e distribuição do país

Postado em 29/08/2019 às 09:29 |

O município pode se tornar sede de investimentos nacionais do GPA, o maior no segmento de varejo e distribuição do país e detentor de marcas como Assaí Atacadista, Pão de Açúcar, Extra supermercados, Casas Bahia, Ponto Frio, entre outros, uma vez que a companhia oficializou à Prefeitura de Sinop uma proposta de aquisição de área para instalação de uma de suas unidades de negócio para a construção de um atacarejo.   

Conforme explica a prefeita Rosana Martinelli, desde que as primeiras conversações iniciaram, o grupo havia manifestado interesse sobre a quadra total onde está disposto o estádio municipal. Posteriormente, sobre metade desse mesmo espaço. Mediante perícia judicial requisitada pelo Poder Executivo à Justiça Estadual, apontou-se o valor ao qual corresponderia a área sob a qual reside o interesse.

Nessa semana, a Prefeitura de Sinop solicitou autorização à Câmara de Vereadores para que o Executivo possa proceder ao desmembramento, desafeto e alienação mediante permuta do imóvel público. Dos 95 mil metros quadrados que compõem a área do estádio, a Administração pretende desmembrar 33.720,00 metros quadrados, a qual será objeto de alienação, mediante permuta. Permanecerão 61.996,09 metros quadrados onde deverá ser edificada uma nova arena esportiva (estádio) com investimento mínimo de R$ 26 milhões, conforme avaliação judicial homologada.

Como a Prefeitura de Sinop abrirá processo licitatório, qualquer empresa do Brasil pode disputar o certame, não apenas aquela que já havia manifestado interesse em adquirir a área. "O projeto de Lei que é colocado para a apreciação nasce da concretização de uma proposta recepcionada pelo município para alienação de parte da área que abriga o Estádio Municipal Massami Uriu. A oferta contempla a alienação parcial do imóvel para construção de comércio alimentar de autosserviços, bem como a execução de uma nova arena esportiva. A partir daí, o Poder Executivo decidiu abrir processo licitatório pertinente para que outras empresas interessadas possam participar do certame, contemplando o município com a melhor proposta visando atender o interesse público", descreve Rosana Martinelli.

A empresa que vencer o processo licitatório deverá observar também os requisitos instituídos pela Prefeitura de Sinop para a realização do negócio. No caso do novo estádio, ele deve seguir os padrões exigidos pela Federação Mato-grossense de Futebol – FMF- , e o ambiente em homenagem a Rogério Ceni – “Memorial Rogério Ceni” - reedificado nos padrões atuais, sem qualquer prejuízo à memória histórica e contributiva do craque futebolístico. "A ideia ainda é a de que o novo Estadio se transforme em um espaço multiuso, podendo ser utilizado para a realização de uma série de eventos, inclusive, àqueles não relacionados diretamente ao futebol, tomando-se como exemplo, encontros corporativos, feiras, exposições, shows culturais, competições desportivas diversas, dentre outras atrações e eventos", complementa a prefeita Rosana Martinelli.

A atividade econômica será impulsionada por serviços voltados ao comércio de exploração de atividades de varejo, de alimentação fast food e autoservicos, devendo o vencedor do certame, obrigatoriamente, investir, no mínimo, R$ 50 milhões na edificação da planta comercial na área desmembrada. A metragem de área construída de prédio não deve ser inferior a 17 mil metros, oferecendo, no mínimo, 400 vagas disponíveis em estacionamento. A conclusão da obra e início de funcionamento do comércio de autosserviços será de 120 dias trabalháveis, a contar na data de emissão do Alvará de Construção pela Prefeitura Municipal.

A expectativa do Poder Executivo é a de que sejam gerados em torno de 500 postos trabalháveis, fomentando o mercado de trabalho e aquecendo a economia local, trazendo benefícios não só para Sinop, mas, também, à toda Região Norte e ao próprio Estado.


Fonte:

Deixe seu comentário