Portal da Cidade Sinop

INVESTIGAÇÃO

Preso suspeito de matar jornalista com pedradas na cabeça em Mato Grosso

A motivação seria uma dívida de R$ 3, adquirida após a vítima supostamente comprar uma porção de droga

Postado em 02/10/2019 às 10:12 |

Polícia Militar apreendeu, ontem à tarde, um jovem, de 21 anos, que é o principal suspeito de matar o jornalista Marcelo Ferraz, 38 anos, com pedradas na cabeça no último sábado, em um terreno baldio no bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá. A motivação seria uma dívida de R$ 3, adquirida após a vítima supostamente comprar uma porção de droga, fazer o uso e não pagá-lo. Testemunhas informaram à polícia, que estava em diligências desde a última segunda-feira, quando o corpo de Marcelo foi encontrado, que suspeito, teria confessado o crime. Ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes e, em seguida, levado para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Vale ressaltar que o suspeito pode ler liberado nas próximas horas, já que não há contra ele nenhum mandado de prisão expedido. Além disso, não houve flagrante, já que o crime ocorreu no sábado. Polícia procura ainda duas pessoas, um homem e uma mulher, que teria participado da ação.

O Instituto Médico Legal (IML) informou apenas que um traumatismo craniano encefálico motivou a morte de Marcelo. Mas, conforme apurado, a polícia está investigando ainda indícios de crime sexual. Conforme as informações, PM abordou moradores de rua da região e um deles afirmou que estava próximo ao viaduto da avenida do CPA, quando foi abordado pelo suspeito “Me dá uma droga que eu acabei de matar uma pessoa”, teria dito o homem.

Ao questionar a motivação, o suspeito teria dito que Ferraz o abordou para comprar uma porção de pasta base no valor de R$ 3, e que após fazer o uso, informou que não tinha dinheiro para pagar. Após uma discussão, ele pegou um pedaço de pedra e começou a espancar o jornalista na região da cabeça.

Polícia ouviu ao todo três testemunhas, que informaram que o suspeito costuma ficar pelas ruas do Baú. Ao ser avistado, tentou fugir da abordagem, mas foi contido pelos policiais. Encaminhado para a Central de Flagrantes, negou qualquer envolvimento com o crime.

Ao delegado plantonista, disse que não matou Marcelo e que não cometeu nenhum crime sexual contra o jornalista. Foi levado já nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira, à DHPP, onde será ouvido pela delegada Jannira Laranjeira, podendo ser liberado em seguida já que não há flagrante, nem mandado de prisão contra ele.

Fonte:

Deixe seu comentário